Entenda por que o gênero de super-heróis não irá saturar tão cedo

0

Podemos dizer que estamos na ”Era de Ouro” dos super-heróis nos cinemas! Adaptações da Marvel/DC sendo feitas todo ano, chegando a uma média de filmes de heróis lançados a cada dois meses em um ano! Mas, apesar de todo o sucesso, alguns questionamentos ficam. Algum dia esse gênero irá saturar e o público-geral ficará cansado de ver filmes do tipo? Estaremos vivos pra ver esse dia? Vamos por partes.

O começo de tudo

Se você pensa que o primeiro filme de super-heróis foi aquela adaptação carismática e espontânea do Batman de Adam West em 1966, você está errado. Talvez todos nós nem fôssemos sequer nascidos, quando a primeira adaptação de um herói aconteceu nos cinemas. Alguém aí lembra do personagem Zorro? Aquele mesmo, criado por Johnston McCulley em 1919, o herói encapuzado que defendia os fracos e oprimidos.

Embora ele seja considerado um herói, nessa época o conceito de ”super-herói” ainda não existia. Contudo, a distribuidora United Artist, apostaram no herói que era desconhecido até então. Na história, o protagonista Don Diego Vega (Douglas Fairbanks) era filho de um rancheiro rico. Ao ver os castigos e sofrimentos dos pobres e presos no governo coloquial espanhol, se veste como Zorro e combate a injustiça dos menos favorecidos.

A partir daí, surgiram empresas chamadas National Comics (atual DC) e Timely Comics (atual Marvel). Tivemos a criação da revista de sucesso Detective Comics, lançada em 1938 e que contava a história de outro vigilante encapuzado, chamado Batman. Um ano depois, em 1939, a National Comics criou um símbolo de heroísmo universal ao introduzir o Superman. Paralelamente, a Timely Comics introduzia Namor e Tocha Humana, heróis da água e do fogo em 1939.

Os anos foram passando, algumas produções de TV e séries baseados em personagens da agora DC Comics e Marvel foram sendo feitas. Porém, a primeira adaptação em cores e que chegou aos cinemas de alguma dessas editoras veio somente em 1966. Batman, ou na tradução brasileira ”O Homem-Morcego” foi uma produção da DC em parceria com a Fox. O longa mostrava a história do herói e seu fiel parceiro Robin, na luta contra o crime de Gotham e contava com 4 vilões: Coringa, Pinguim, Mulher-Gato e Charada. No mesmo ano, foi lançada uma série de 2 temporadas com os mesmos atores, que possuía um tom mais de comédia do que de ação em si.

Demorou 12 anos até que outro filme fosse produzido por algumas das editoras, e novamente, a iniciativa partiu da DC. ”Superman – O Filme” foi lançado em 1978, tendo um sucesso enorme devido a fidelidade do material e de sua trilha sonora e enredo. A atuação de Christopher Reeve na pele do herói também contribuiu bastante para o sucesso do filme. O filme mostra a história de Clark Kent e sua infância, sua rivalidade com Luthor e sua natureza humana. Além disso, o filme foi indicado para 3 categorias do Oscar, ganhando uma premiação de Special Achievement, um premiação dada ao filme que contribuiu para a evolução de algo. Nesse caso, Superman contribuiu bastante para os Efeitos Visuais no cinema. Enquanto isso, a Marvel produzia apenas séries de TV, tais quais do Hulk e do Capitão América.

Somente em 1986, a Marvel resolveu lançar um filme do Howard, O Pato. Esse lançamento foi algo muito curioso e que gerou polêmica em torno dele, já que Howard não era considerado um dos principais personagens da Marvel e foi o primeiro a ganhar um filme. Nos anos 90, a Marvel passou por um processo difícil de crise na venda de quadrinhos, chegando mesmo a quase decretar falência e vender boa parte de seus personagens para grandes empresas.

Posts relacionados
1 De 128

A Fox adquiriu os direitos do universo dos X-Men e Quarteto Fantástico, enquanto a Sony ganhou o universo e tudo que envolvia o Homem-Aranha. A Sony produziu uma trilogia do Homem-Aranha dirigida pelo Sam Raimi, que tiveram dois filmes de sucesso e o terceiro muito criticado. A Fox, produziu dois filmes que não foram bem recebidos do Quarteto Fantástico e uma trilogia dos X-Men, que apesar de inicialmente elogiada também terminou mal. A Marvel se reergueu e lançou sua ideia de um universo compartilhado de filmes. Esse universo, uniria não só seus personagens mas com a linha do tempo dos filmes, algo até então inimaginável de se fazer na epóca. Em 2008, foram lançados Homem de Ferro e O Incrível Hulk. Os filmes foram um sucesso (inclusive possibilitando a compra da Marvel pela Disney) e o MCU foi evoluindo até chegarmos a 2018.

Enquanto isso, a DC foi tentando lançar filmes separados de si mesmos. O que realmente pareceu dar certo, foi Batman Begins, que foi dirigido por Christopher Nolan. A partir dele, surgiu o icônico Batman: O Cavaleiro das Trevas, que muitos consideram o melhor filme de heróis da história com a atuação de Heath Ledger como o Coringa sendo premiada com o Oscar. A trilogia Nolan foi finalizada em 2012 e a partir daí a DC começou a pensar em um universo compartilhado. Em 2013, O Homem de Aço foi lançado, um filme do Superman com o ator Henry Cavill. A ideia do DCEU só foi confirmada após o lançamento de Batman v Superman em 2016, sendo sucedido por Esquadrão Suicida, Liga da Justiça e Mulher-Maravilha. Apesar do sucesso recente de Aquaman, o DCEU anda meio mal das pernas e seu futuro ainda é incerto.

Reebots da Fox e Sony

A Fox e Sony tiveram muitos reboots de seus heróis. Recentemente, tivemos o acordo entre a Sony/Marvel para dividir os direitos do Homem-Aranha, mas antes disso, tivemos dois atores diferentes interpretando o Teioso. Após a primeira trilogia X-Men, a Fox também fez um reboot na equipe, com Primeira Classe e Dias de um Futuro Esquecido. Chegaram a ser feitos até spin-offs do Wolverine, como Wolverine: Imortal, X-Men Origens: Wolverine e Logan. O universo Fox é tão confuso, que ainda no meio disso tudo, tivemos o reboot do Quarteto Fantástico de 2015, que também não deu certo. Com os recentes fracassos da Fox e do sucesso do MCU, tudo indica que os X-Men e o Quarteto voltarão a Marvel em breve.

O presente e o futuro

A Marvel está encaminhando para o fechamento da Fase 3 de seu universo, com Vingadores: Ultimato. A editora já tem filmes planejados para a Fase 4, e ainda existem inúmeros personagens que não foram explorados. Com a possível compra da Fox pela Disney, as possibilidades de filmes aumentam ainda mais. Por outro lado, a DC tem pouquíssimos filmes em seu universo, tendo apenas três de seus personagens com filme solo. Considerando isso, a DC tem um caminho ainda mais longo pela frente na produção de novos filmes. Ao longo de mais de um século, convivemos com o gênero de super-heróis. Se a arrecadação assim permitir, percebemos que a saturação do gênero está bem longe de acontecer. O público-alvo dos filmes, também não se mostram preocupados com isso. Enquanto isso, nos resta torcer por não só quantidade, mas qualidade nos filmes e adaptações que serão lançados.

Veja também: Vídeo revelado dos bastidores de Capitã Marvel

Deixe um comentário