Checkpoint: 10 jogos que renderiam ótimos filmes

0

O mercado dos jogos tem um passado traumático quando o assunto é adaptações cinematográficas. Seja no auge da popularização dos video games, na década de 90, com filmes como Street Fighter e Super Mario Bros ou mais recentemente com os intragáveis Tomb Raider: A Origem e Assassin’s Creed, unir as duas mídias parece uma tarefa impossível.

Esses suscetivos fracassos são fruto de uma ignorância generalizada a respeito dos jogos e suas particularidades narrativas. Elas devem ser analisadas com cuidado para que suas transcrições ao cinema não sejam completos desastres. Desastres que nos mergulham em um oceano de filmes ruins e desesperança no futuro das adaptações, como estamos hoje.

Ainda assim, nem tudo está perdido. A verdade é que alguns jogos parecem mais adaptáveis que outros. É o caso dos 10 títulos listados abaixo, que com as direções e roteiros certos, renderiam obras primorosas. Chega de adaptar platformers e games de luta!

The Last of Us

Um dos aspectos que tornam um game mais ou menos adaptável é a sua história. Não existe mente capaz de adaptar Super Mario em um live action de 104 minutos, por exemplo. Mas a coisa muda de figura quando se trata de um game como The Last of Us. O clássico moderno da Naughty Dog conta com uma narrativa pós-apocalíptica riquíssima, além de personagens e situações inesquecíveis. A linearidade da história a torna perfeita para um road movie aos moldes de A Estrada; sucinto e marcante.

Portal

Considerado um dos melhores jogos de todos os tempos, Portal abre um leque de possibilidades dentro da ficção científica. No game, a protagonista Chell acorda sozinha e desorientada em um enorme centro de pesquisas. Logo ela descobre que foi levada até lá para testar a ASHPD, uma arma capaz de abrir portais no espaço. Seguindo as instruções de GLaDOS, uma sarcástica inteligência artificial, Chell deve superar diversos desafios e desvendar os mistérios da instalação, tendo em mente a recompensa: sua liberdade e um bolo. Quem jogou sabe… O bolo é uma mentira!

Hotline Miami

Violento, febril e retrô. Parece um filme do Nicolas Winding Refn, mas estamos falando de Hotline Miami. Embora simples, o game recria de forma única a Miami dos anos 80, com músicas e ambientes característicos da época. O enredo cheio de reviravoltas acompanha um assassino profissional atormentado pela culpa de seus atos e visões distorcidas de seu passado. Além disso, a experiência conta com aquilo que o público atual de cinema mais adora, nostalgia, que faz desse o momento perfeito para uma adaptação de Hotline Miami.

Life is Strange

Dentro desse game existe um filme esperando para acontecer. A história gira em torno de Maxine Caulfield, uma estudante de fotografia que descobre poder voltar no tempo quando e onde quiser. Seguimos Max em sua intimidade durante todo o jogo, enquanto ela explora a pequena cidade onde mora, tentando compreender a natureza de seus poderes e da juventude em si. Life is Strange e seus elementos de fantasia seriam capazes de revigorar tranquilamente o gênero coming of age, trazendo a ele uma abordagem completamente nova dos dilemas adolescentes.

Wolfenstein: The New Order

Posts relacionados
1 De 59

Wolfenstein toma o rumo da história através de uma rota alternativa: o que aconteceria se os Nazistas, por uma vantagem tecnológica, saíssem vitoriosos da Segunda Guerra Mundial? Como seria a ordem global ditada por uma Europa dominada pela ideologia fascista? Encontramos a resposta para essas perguntas em uma jornada opressiva e violenta, onde a reversão do quadro parece um sonho distante. Se isso não é o suficiente para um roteiro de cinema, nada é.

The Wolf Among Us

Lançado em 2014 pela extinta Telltale Games, a aventura é baseada na série de quadrinhos Fables: The Wolf Among Us, que conta a história do detetive Bigby Wolf. Bigby vive num mundo onde contos de fadas coexistem com a humanidade, sendo ele, literalmente, o Lobo Mau. Dono de um temperamento instável e assombrado pelo passado, ele deve investigar a morte de uma garota na comunidade de Fabletown. A atmosfera noir e o clima depressivo, aliados à sua inventividade, tornam esse o mistério perfeito para o cinema.

Bioshock

Uma obra premiada que também se faz essencial em qualquer lista de melhores jogos de todos os tempos. Bioshock tem uma narrativa única, que mostra a decadência de Rapture, uma sociedade submarina arruinada pelas drogas e pelo ego de seus idealizadores. O enredo traz consigo uma reviravolta completamente imprevisível, além de se basear em uma premissa instigante e versátil o suficiente para ser levada a qualquer outra mídia sem muitos problemas.

Silent Hill 2

Sim, existem alguns filmes baseados na franquia, mas é inegável que nenhum fez jus à loucura introspectiva dos jogos, especialmente à desse. Silent Hill 2 possui um dos melhores enredos da história dos jogos eletrônicos. Nele, James Sunderland recebe uma carta de sua esposa morta o convidando a encontrá-la na cidade dos seus sonhos, Silent Hill. Entretanto, a única população da cidade são os demônios e perversões pessoais de James. Esse é um mistério que, unido à lente do terror asiático, cairia como uma luva no atual (e apático) cinema de terror.

Dead Space

Um título curioso para integrar a lista. Isso porque Dead Space teve como inspiração um filme chamado O Enigma do Horizonte, de 1997. Ambos compartilham diversos aspectos, como a solidão do espaço e naves infestadas de monstros e demais aparições. Acontece que Dead Space é muito mais perturbador e bem estruturado que o filme de 1997, então talvez essa seja a hora de o aprendiz superar seu mestre.

Spec Ops: The Line

Poucas vezes a guerra foi retratada com tamanha crueza e imparcialidade. Essa descrição engloba também outras mídias, como cinema e literatura. Spec Ops constrói uma jornada humana, focada em personagens que são tudo, menos perfeitos. Uma jornada que reafirma: na guerra não existem mocinhos. Nela, o mais forte dos homens encontra sua ruína e se vê obrigado a abrir mão da integridade em prol do conflito, da aniquilação. Essa é sem dúvidas uma experiência irretocável que merece ser adaptada e vivida por outros públicos.

Em conclusão, se a interlocução entre os dois modelos narrativos receber a devida atenção e for realizada por alguém qualificado e apaixonado o suficiente, todos ganham; o cinema será presenteado com histórias frescas e incríveis, enquanto os games se consolidarão de uma vez por todas como uma forma de arte transcendente.

Veja também: 8 filmes famosos que são na verdade remakes

Deixe um comentário