Donas da Bola – Análise crítica 2020

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Donas da Bola: O diretor Mohamed Hamidi é movido pelas nobres intenções de Donas da Bola (2020). Ele pretende mostrar que as mulheres podem jogar futebol como os homens, que são capazes de realizar qualquer tarefa que seus maridos realizem e que homens e mulheres podem viver juntos em igualdade de condições.

Donas da bola – análise crítica 2020
Donas da bola – análise crítica 2020

Este filme agrega com cuidado personagens de diferentes origens e classes sociais (sejam brancas ou árabes) ao time amador, independentemente de terem filhos, trabalhar em casa ou em casa.

Donas da Bola – Início

Contrariando as expectativas, essas esposas enfadonhas participaram ativamente de esportes e substituíram seus maridos revogados após a batalha do campeonato local. Hamidi acredita que todos podem realizar seus sonhos e superar preconceitos, formando assim uma comunidade harmoniosa e cheia de diversidade.

Embora os jogadores encontrem muitos obstáculos, eles responderão a cada falha ou censura com dupla força de vontade. Esses papéis constituem o que é tradicionalmente chamado de curso de vida.

O problema começa com a idealização da trajetória. Stephanie (Céline Sallette), Sandra (Sabrina Ouazani), Catherine (Laure Calamy), Cindy (Manika Auxire) e outras personagens representam exemplos predefinidos de superação com a mesma trajetória.

As mulheres partem de um estágio pessoal ruim (vida familiar enfadonha, marido inferior, soltura da prisão, desemprego), encontram os irmãos imediatamente e garantem o sucesso do exercício. Ao contrário do realismo, as comédias dramáticas apostam no fabuloso terreno do mundo, o que poderia acontecer se todos se tratassem com mais cordialidade.

Donas da Bola – Análise

No entanto, a facilidade de raciocínio assemelha-se à ingenuidade: existem razões estruturais, políticas e financeiras mais fortes do que a pura força de vontade, que impedem as mulheres de obterem direitos iguais. O discurso mostrou que um bom exemplo e coragem firme são suficientes para solucionar o trauma histórico.

De acordo com o ponto de vista, a solução está em cada esquema. A narrativa não se localiza acidentalmente em uma cidade fictícia: não há lugar confiável para encontrar os problemas e soluções dos pitorescos Courrières.

Donas da bola – análise crítica 2020
Donas da bola – análise crítica 2020

As guerras de gênero são uma subcategoria da comédia cômica, que ganhou novo modelo na pesquisa de Se Eu Fosse Você (2006). As mulheres começaram a apresentar “funções masculinas”, como esportes, enquanto os homens relutantemente desempenhavam “funções femininas”, como cuidar de suas casas e dos filhos.

A dualidade do que é considerado noções exclusivas e opostas (masculino / feminino) constitui um retrocesso em si mesmo. Ao mesmo tempo, os homens raramente são sexistas e rudes, enquanto no primeiro jogo as mulheres mostravam uma ignorância absurda do jogo (sentiam falta do lado do jogo).

Donas da Bola – Enredo

Hamidi acredita que o humor exagera e dá poesia. No entanto, a mudança de temas urgentes (homofobia, inserção ocupacional feminina, violência doméstica) implica responsabilidade pelo retrato. O principal problema para o protagonista envolve o sistema de censura do marido, que é contornado quando eles permitem que suas esposas participem do jogo.

Sua “conquista” reside entre manter altos níveis e manter o patriarcado. Na verdade, o grande respeito pelas mulheres é o homem que tem como protagonista o técnico Kad Merad, que acredita nas jogadoras, mas não as considera equivalentes à equipe masculina.

A solução para o sofrimento das mulheres é viver em harmonia com seus maridos: não há vida emocional e social feliz, apenas mães ou casamento.

Donas da Bola – Desenvolvimento

Donas da Bola olha para todos os custos da reconciliação e oferece uma atitude otimista que é completamente diferente das necessidades das mulheres contemporâneas. Nenhum problema parece tão sério que não possa ser corrigido na próxima cena ou resolvido magicamente quando uma conclusão for alcançada.

Hamidi acredita na irmandade entre as diferenças e não tem certeza de como alcançar esse estado de paz. Portanto, ele usa o tempo saltando para a transição do caos para a harmonia. Sandra acredita que seu passado nunca será aceito por seus colegas. Poucos minutos após a divulgação, o problema não existe mais.

Donas da bola – análise crítica 2020
Donas da bola – análise crítica 2020

O marido sentiu-se violento com a participação da esposa na competição. Então ele aceitou o problema, abriu as portas para os treinos e comprou várias esteiras para preparar o corpo dos atletas. Proponha a seguinte solução de preconceito: Não seja preconceituoso.

Esse tipo de raciocínio tem histórias puras de crianças, contando histórias de príncipes e princesas que viveram felizes desde então, e até mesmo a ilusão artificial de deus ex machina. Deus ex machina é um recurso clássico da arte dramática. Após um longo período de luta, A figura sagrada desceu do céu para dizer ao oponente para parar de lutar e alcançar a paz.

Estética agradável, cores fortes e personagens desajeitados combinam humor e inocência: para o cinema, as melhores pessoas são tolas, como Marco, Mimil (Alban Ivanov) e Catherine.

Donas da Bola – Análise final

Além do ritmo agradável, isso não impede que a comédia se divirta. Atores, principalmente aqueles com experiência em comédia, sabem conviver com o diálogo e o humor, como Kad Merad, Laure Calamy e Alban Ivanov.

Todos os anos, os cinemas industriais franceses apresentam dezenas de obras com base nesta fórmula: comédias de origem social, mas politicamente inofensivas, que podem rir com personagens sem rir deles. Com isso, conquistaram parte considerável do público e da crítica e concretizaram suas ambições.

O jogo nunca parece convincente, mesmo a ampla trajetória do treinador em um jogo de futebol, e até mesmo as mudanças repentinas no humor do vilão são incríveis. No entanto, os papéis desempenhados pelos atores são relaxados e felizes.

O grupo parecia ser interessante na cena, mas não levou as voltas e reviravoltas muito a sério – eles estavam cientes de seu papel e mostraram uma relação real entre os atores. O resultado é semelhante a um filme adulto contando histórias infantis, com ensinamentos morais que visam promover o crescimento pessoal.

Perguntas frequentes sobre o tema:

  • Data de lançamento: 7 de novembro de 2019 (França)
  • Diretor: Mohamed Hamidi
  • Música composta por: Ibrahim Maalouf
  • Roteiro: Mohamed Hamidi, Alain-Michel Blanc, Camille Fontaine
  • Produção: Jamel Debbouze, Nicolas Duval Adassovsky

Espero que tenha tirado boas ideias do post, sempre estou trazendo resenhas, resumos e análises interessantes sobre filmes badalados ou até mesmo sobre filmes nacionais que merecem mais atenção.

Gostou do post sobre Donas da Bola – Análise crítica 2020

Continue nos acompanhando e interagindo com a gente, gostaria que comentasse qual filme marcou a sua vida, assim como esse foi marcante para mim! irei trazer mais filmes antigos e também filmes que foram marcantes na épica sessão da tarde.

Sua avaliação e sua interação são de suma importância pra conseguirmos trazer o que é interessante pra você leitor!