Caixa Preta é a seção onde a equipe do HqCafé posta suas conversas no grupo do site, frequentemente servindo de complemento às próprias matérias. Na Caixa de hoje, falaremos sobre a animação Liga da Justiça e suas séries relacionadas, produzidas por Bruce Timm e Paul Dini. Aproveitamos também para fala mal um pouco do David S. Goyer, co-roteirista de Batman v Superman.

Ochôa: acabando aqui a primeira temporada de Liga da Justiça… caraio, o Paul Dini simplesmente não sabe o que fazer com o Super-Homem

Hobbit: why? Lembro que na Liga eles só desenvolvem mais a Mulher Gavião, e no final talvez o Flash

Ochôa: baixe qualquer episódio. Resumo básico da participação do Super-homem: aparece qualquer ameaça – literalmente qualquer

ele vai na frente – AAAAAAAHHHHH leva uma porrada. Fica fora de ação. Ele literalmente só apanha em cada episódio. É um puta cacoete narrativo.

somado a isso, de todos os sete integrantes ele é o único que não é desenvolvido em momento algum. Ele apenas está lá, e a presença dele nunca tem vulto ou grandeza. Ele é só um cara que está lá. Em uma temporada inteira, cada personagem teve um grande momento, ou dois, ou três. Ele não tem nenhum.

Hobbit: usar o Superman assim é um recurso fácil para dar credibilidade à ameaça do episódio. Superman é no imaginário popular o maior herói da terra. Derrotá-lo cria um senso de perigo.

Não é como se nocauteassem um bucha que nem o Batman.

Batman, Superman e Mulher Maravilha entram numa briga. Adivinha quem foi parar no hospital?

Raul: 

Mas depois da terceira ou quarta vez, isso deixa de funcionar. Já que “qualquer um” bate no Superman.

 

 

Hobbit: Mas é um problema do Super na Liga. qq ameaça física, e muitas das demais, seriam resolvidas só por ele. Talvez na Liga ele funcionasse bem como o cara que dá a direção certa pro grupo, mostrando o caminho da “Paz, Liberdade e Espírito Americano”®

Raul: Não é problema do Superman. É dos roteiristas.

Hobbit: É um problema na medida em que é um personagem mais difícil de se escrever. Especialmente num grupo.

Ochôa: tô 100% com o Raul nessa. Ele é mal escrito na Liga do Dini, just it

assim

episódio do Metamorfo (Liga da Justiça s01e22 – Metamorfose): no fim o Stagg vira um coiso gigante.

“GRRRRRR, EU SOU UM COISO GIGANTE!”

Super sai voando na frente

toma um tapa, tipo mata-mosca

“AAAAAAAGHHHHH”

Super fora do episódio

Fim

Nota de editor: na verdade, Superman aparece novamente no episódio, apenas para tomar outro safanão (dessa vez, sem direito à onomatopeia).

Raul: Eu estava relendo LJA do Morrison hoje. “He’s wrestling an Angel”.

Ok, é o Superman Elétrico, mas a ideia é a mesma.

Ochôa: isso que ia dizer. Liga do Morrison. Liga do Waid. olha a diferença! E na animação ele sequer é a bússola moral do grupo ou inspiração. Ele é só um cara de queixo quadrado que está lá pra levar uma biaba e sair de cena perante a ameaça do episódio

Raul: Morrison, Waid, Busiek. Millar.

Hobbit: mais ou menos… lembro de algumas histórias da Liga nas HQs em que o Superman é retratado como um brutamontes. Enquanto o Batman resolve todos os problemas. É como se o Bruce Wayne tivesse uma aura de emburrecimento ao redor dele.

Batman do Morrison: o cara que derrota os Marcianos Brancos com UM FÓSFORO.

Raul: LOL

Ochôa: Porra, episódio do Vandal Savage (Liga da Justiça s01e24 a 26 – Nos Tempos de Savage) – que é foda pra carai – vem os jatos da segunda guerra, metem bala nele

Super: AAAAAAAGHHHH

e se caga todo

jatos

da

segunda

guerra

PORRA

“Não se preocupe, Superman, os Blackhawks chegaram para salvar o dia!”

Raul: LOL que m&rd@

Ochôa: se fuder!

Somado a isso, o personagem não tem nenhum tipo de aprofundamento, ao contrário de todos os outros, ele é só um cara que está lá

Raul: Assisti muito pouco. O Batman tem algum tipo de aprofundamento na série da Liga?

Hobbit: Batman tem um ótimo desenvolvimento que eu lembre. Tem o episódio duplo na primeira temporada que trata basicamente dele, humano, na Liga (Liga da Justiça s01e18 e 19 – Injustiça Para Todos). E o epílogo da série é com ele.

Nota do Editor: “Liga da Justiça Sem Limites s02e26 – Epílogo”, é na verdade o episódio final da 2ª temporada. Bruce Timm e Paul Dini ainda não sabiam que a série seria renovada, e resolveram fazer o último capítulo da temporada da série da Liga dedicado ao Homem-Morcego, amarrando a trama com a animação “Batman do Futuro”.  

Raul: Então o fato de não aprofundarem o Superman não pode ser justificado por ele ter tido série própria pra isso. Acho que o Batman mora no coração do Bruce Timm e do Dini

Hobbit: O Super deve ser mais por contrato

O Batman – Guerra ao Crime, por exemplo, é mais interessante do que o Super-Homem – Paz na Terra, do Dini e Ross

Nota do Editor: entre 1999 e 2003, a DC lançou seis graphic novels produzidas por Paul Dini e Alex Ross, dedicadas a Superman, Batman, Mulher Maravilha, Capitão Marvel e duas da Liga da Justiça. Todo esse material foi reunido na antologia “The World´s Greatest Super-Heroes” (publicada no Brasil como “Os Maiores Heróis da Terra”).

Aliás, o Guerra ao Crime é uma ótima história do Batman

Dá uma dimensão mais humana e menos Dark Knight Returns

Gonzalez: pra mim o Líder Optimus tem o mesmo problema no filme do Michael Bay. Ele chega em câmera lenta, todo mundo se caga.

Aí vem o Megatron ou vilão da vez e desce o cacete nele

Aí ele é salvo pelo Shia LeBife

“Fique atrás de mim, Optimus! I got you covered”

PQP, de onde vem a reputação dele?

Ochôa: pois, esse é o problema Gonzalez. Nada na série justifica a fama do Super-Homem.

O Batman tem um ótimo aprofundamento. Ele tem dois arcos completos ao longo de toda a temporada.

Um, que é aprender a agir em grupo e confiar nos outros, que é encerrado quando ele confronta o Etrigan dizendo que “confiaria minha vida a J´onn” (Liga da Justiça s01e20 e 21 – Um Cavaleiro das Sombras)

E outro é a relação dele com a Mulher-Maravilha, que aliás rende um dos melhores momentos da temporada, quando ela toma um cacete e é soterrada por escombros (Liga da Justiça s01e15 – Corajosos e Ousados)

e o Bruce se desespera e começa a escavar com as próprias mãos

ela sai dos escombros por conta própria

ele recupera a fleuma

ela olha pra ele e vê as mãos sujas de barro dele, que ele tenta esconder

ela beija ele

Só na bochecha, para não acabar com a fama do Cavaleiro das Trevas!

Nota do editor: surpreendentemente, dentro do coração peludo do Ochôa mora um nerd romântico.

Hobbit: essa relação rende outro grande momento da série (Liga da Justiça Sem Limites s01e05 – Esta Porquinha):

Solidão, Solidão, o que faço com o meu coraçãooooooo….

Oq demonstra que episódios musicais são melhores que os demais, Raul

Raul: 

Nota do Editor: Hobbit e Raul tem um rusga ancestral acerca de episódios musicais em séries. O primeiro defende com unhas e dentes que qualquer episódio fica melhor com os personagens cantando. O segundo considera isso uma abominação que deveria ser extinta da terra. A disputa deve ser resolvida algum dia com um duelo de canhões ao entardecer.

Ochôa: O Ajax é outro que é muito bem desenvolvido na série, especialmente no arco do Etrigan. Enquanto isso, David Goyer fala que não tem Ajax no DCFU porque só nerd virjão conhece o marciano (Nota o Editor: não sabemos se o Ochôa digitou errado “DC Comics Extended Universe” ou se aproveitou para enfiar um palavrão no meio da sigla)  

ai ai

p%rr@ Warner

Hobbit: não tem Ajax no Snyderverso pq só tem espaço pra um negro na cota da Liga, e o Ajax, como todos sabem, é negro

Raul: Verde é o negro alienígena

Ajax, o representante de cota racial da Liga da Justiça

Hobbit: e pq o Goyer é um babaca

Ochôa: que acha a Mulher-Hulk um bimbo do Hulk, numa das frases mais escrotas que já li na minha vida, mesmo com meu coração cis-direita-coxinha-reaça

Raul: Um o que do Hulk?

Ochôa: basicamente ele disse que

David S. Goyer, Arquiteto da DCEU

depois que li isso acho que fui tomar banho de roupa

no escuro

Raul: que imbecil… mano, como pode alguém tão limitado ter tanto poder nas mãos? Vai escrever o próximo filme do Lanterna!

Hobbit: I know, right?

Ochôa: minha única teoria para o Goyer, Raul

sobre como é que alguém tão imb%c&l chega lá

é a mesma que eu tenho pro Brett Ratner e pro Snyder: [censurado por motivos legais/medo dos advogados da Warner] com as pessoas certas.

Gonzalez: Não é pq ele produziu Blade e Batman do Nolan?

Raul: Ele dirigiu Blade Trinity. Tem umas histórias que ele era detestado pelo elenco

Ochôa: Ele escreveu Blade e Batman Begins, e depois tudo que ele fez nesse meio do caminho – mas tudo mesmo – absolutamente naufragou de maneira escandalosa: Blade: A Série, Blade Trinity, o filme de terror dele. Da Vinci´s Demons é dele tb, assisti um episódio e tem umas boas ideias ali. Mas no geral é ruim.

Gonzalez: Acho que a Warner devia ser estatizada

Ou sofrer uma expropriação revolucionária dos fãs

Hobbit: Voltando pro desenho da Liga, será que rola um Top 10 momentos?

Nota do Editor: aguarde esse post, caro leitor…

Autor: