Ramona Fradon, você a conhece? Talvez não, então é por isso que estou elaborando este post. Dos grandes prazeres de se escrever para o HQCafé, um deles é pesquisar sobre os quadrinhos, quem fez, quem criou, como e até o porquê. E dentre esses prazeres, descobrir alguém como Ramona Fradon está entre os melhores. Considerada a grande dama da DC Comics e uma de suas “founding mothers”, Ramona é reconhecida como a primeira mulher a se destacar na criação de personagens de histórias em quadrinhos DE HERÓIS, em letras capitais para evitar os trolls e os chatos.

Ramona graduou-se pela Parsons School Of Design em 1950, e logo em seguida começou a trabalhar na DC Comics, onde ela desenharia o Aquaman por mais de dez anos, definindo o seu visual e criando novos personagens. Ramona foi a desenhista da primeira história do Aquaman da Era de Prata. Como eu espero que você seja mais esperto, inteligente e bem informado que do que eu, acredito que saiba da importância que Ramona tem na mitologia do Aquaman ao criar designs e personagens que cercam as histórias do  Rei de Atlântida. Não há como falar de Aquaman sem se falar dela.

Quando graduou-se, Ramona já estava casada com Dana Fradon, um cartunisa da New Yorker e, em suas próprias palavras, “nós éramos pobres e um amigo, George Ward, pediu algumas amostras minhas de desenhos para ele levar à DC COMICS. Eu então comprei algumas revistas em quadrinhos de super-heróis e passei algum tempo estudando os desenhos e desenhando. Depois entreguei as amostras para George”.

Obrigado, George!

Seu primeiro trabalho foi desenhando o Cavaleiro Andante (ou Cavaleiro Brilhante) em Adventure Comics, vol.01, #165, na história “Gadget Boom In Camelot!”, de 1951, escrita por Don Cameron e editado por Whitney Ellsworth. Ramona desenhou e fez a arte-final.

Capa de Adventure Comics, Vol 01, #165

Desenho do Cavaleiro Brilhante por Ramona Fradon.

A primeira revista que Ramona começou a desenhar periodicamente foi a Adventure Comics. Juntamente com Robert Bersntein, o roteirista, Ramona assumiu as histórias do Aquaman. A dupla criou em 1960 o parceiro-mirim Aqualad, em Adventure Comics #269.

Capa de Adventure Comics, Vol 01, #269

Durante toda a década de 1950, Ramona desenharia regularmente Aquaman, e, no começo dos anos 60, ela pararia o trabalho para dedicar-se a ser mãe. Só voltaria de fato ao mundo de quadrinhos no começo dos anos 1970. Dentre todos os trabalhos que uma mãe é obrigada a fazer, quase sempre sozinha, imaginem em 1965? Ela teve tempo de co-criar o Metamorpho com Bob Haney, que é um dos personagens mais legais da DC. Para MIM, é.

A estreia do Metamorfo foi na revista Brave and The Bold vol.01, #57, em janeiro de 1965, na história “The Origin of Metamorpho”, escrita por Bob Haney, desenhada pela Ramona e artefinalizada por Charles Paris. A trama define a “primeira” origem do Metamorfo.

Capa de Brave and the Bold, Vol 01, #57

Ramona voltaria para desenhar as quatro primeiras edições da revista do Metamorfo e algumas capas da revista durante o período que esteve dedicando-se à maternidade.

Um fato curioso e marcante foi que a estreia do Batman na revista Brave and the Bold foi desenhada por ela. Em Brave and the Bold, vol.01, #59, Batman une-se ao Lanterna Verde que vale, Hal Jordan, para enfrentar o Comandante do Tempo, em sua primeira história, “The Tick-Tock Traps of the Time Commander!”, escrita por Bob Haney, arte-final de Charles Paris e letras de Stan Starkman.

Capa de Brave and the Bold, Vol 01, #59

Nos anos 70, Ramona volta a trabalhar em tempo integral na DC, e desenha as revistas do Homem Borracha, Superman, Combatentes da Liberdade, dos Superamigos e do Batman! Do Batman! Porém, ela retorna aos trabalhos por causa da Marvel, quando Roy Thomas a convida para desenhar a Tigresa. Thomas pensava que seria uma boa publicidade ter uma mulher desenhando uma heroína. Ela faz poucos trabalhos para a Marvel, uma edição do Quarteto Fantástico, a de #133, de 1973, e a uma edição da Tigresa, a de #05, que nunca foi publicada, entre alguns outros.

Capa de quarteto fantastico 133, de 1973, com a única história desenhada por Ramona Fradon para o grupo

A revista da Tigresa #05 que nunca foi publicada teve como desculpa da Marvel as fracas vendas das edições anteriores. Já Ramona diz que o script que recebeu para fazer o roteiro da revista consistia em um parágrafo descrevendo a história, e ela teria que desenhar 17 páginas à partir daquele parágrafo, mas ela não soube como lidar direito com aquilo. Essa situação pode ter levado ao cancelamento da edição. Esse episódio será explorado em outro post.

Em 1980, Ramona deixa a DC Comics para substituir Dale Messick nas tiras de “Brenda Starr, A repórter” que eram publicadas na Tribuna de Chicago. Ramona desenharia a tira por 15 anos. Nesse período ela faria parceria na tira de Brenda Starr com Linda Sutter e Mary Schmich.

Brenda Starr no traço de Ramona Fradon

Voltaremos a falar de Brenda Starr e de sua criadora, Dale Messick, que mudou seu nome para poder trabalhar com quadrinhos, afinal, era mulher…

Ramona aposentou-se em 1995, porém, ela costuma fazer alguns trabalhos. Ela desenhou “Sonic the Hedgehog” para a Archie Comics, em 1999. Em 2004, Ramona desenhou “Homem Sereia e Mexilhãozinho” para a revista Nickelodeon. A dupla surgiu nos desenhos do Bob Esponja como uma paródia do Aquaman. Fico imaginando como foi feito o convite a ela…

Homem Sereia e Mexilhãozinho por Ramona Fradon

Homem Sereia e Mexilhãozinho nos desenhos do Bob Esponja

Ramona desenhou a graphic novel “The Adventures of Unemployed Man” (EU PRECISO LER ISSO!) A graphic novel foi escrita por Erich Origen e Gan Gola, publicada em 2010 e conta a história do super herói desempregado “Unemployed Man” e seu parceiro “Plan B” (EU REALMENTE PRECISO LER ISSO!!!) Mais informações aqui.

Página de Unemployed Man

Em 2012, Ramona publicou a coleção “The Art of Ramona Fradon“, link aqui e seu livro infantil “The Dinosaur That Got Tired of Being Extinct“, que ela escreveu e desenhou. Eu adorei o título, by the way.

Página de “The Dinosaur That Got Tired of Being Extinct”

Críticas do livro “The Dinosaur That Got Tired of Being Extinct” e um biografia de Ramona Fradon

Nascida no dia 02 de outubro de 1926, Ramona está com 91 anos, e continua desenhando comissions que você pode encomendar aqui. Comissions como esta abaixo:

Batman e seus viilões

Ramona Frandon

Ramona Fradon

Ramona Fradon se considera uma dona de casa suburbana, com filhos e um emprego de meio período, que mesmo trabalhando por mais de quarenta anos na indústria de quadrinhos não tem uma pensão e não se ressente disso. Ela realizou um sonho de se formar em uma faculdade e assim, durante onze anos, afinal ela tinha que trabalhar, estudou psiquiatria e religiões antigas, e mesmo que tenha percebido que não seguiria a carreira nessas áreas ela se lembra com carinho do período de estudo. Ramona Fradon desbravou um campo essencialmente masculino, em uma época que as mulheres não trabalhavam fora de casa, ela era a única mulher em uma redação e jura que nunca sofreu machismo de seus colegas, os malucos, como ela mesma dizia.

Em uma San Diego Comic Con, Ramona foi perguntada sobre o que mais a agradava nesses eventos e ela respondeu assim, link aqui para a entrevista em inglês:

Primeiro, eu ganho dinheiro, o que é bom. Mas eu adoro conhecer fãs. Eu adoro sentar aqui e assistir esses homens que estão em seus quarenta anos agora, eles vêm e olham o meu trabalho, e eles abrem sorrisos mais do que doces em seus rostos. Aquece meu coração. Os desenhos os levam a um tempo antigo,  os faz sentir bem. Isso me faz sentir bem.

 

Ramona entrou para o Women Cartoonists Hall of Fame, em 1999, e para o Eisner Award Hall of Fame, em 2006.