Esse post é um post de agradecimento ao Rei Jack Kirby.

 

O que eu posso dizer sobre Jack Kirby que não tenha ainda sido dito? Nada. A grandeza de sua obra levou que toda a sua vida tenha sido amplamente vasculhada, lembrada e narrada aos quatro ventos. Kirby foi um lutador, nascido em um bairro pobre em Nova Iorque, desde cedo teve que se virar para defender-se, e se garantia também em outras facetas de sua vida, como desenhar. Autodidata, aprendeu a ilustrar sozinho.

 

Etrigan, criado por Kirky, é um dos meus personagens preferidos.

Possuidor de um traço inconfundível, os visuais clássicos dos heróis da Marvel idealizados pelo Rei confundem-se com o seu traço. Kirby, junto com Stan Lee, participou da criação de quase todos os personagens essenciais da Marvel. Curiosamente, para mim, nunca houve dúvidas das autorias dos personagens. A polêmica sobre a criação dos heróis sempre foi uma não polêmica, pois ele os criou junto com o Lee, que admitia isso. Não sei dizer o que aconteceu depois para que ele parasse de ser creditado. Sei da relutância que o Lee apareceu em citá-lo também, mas ele nunca afirmou Kirby não era co-autor.

 

 

Mas, ironicamente, uma das provas da autoria dele dos personagens clássicos é uma entrevista que o Stan Lee deu contando o porquê não utilizou o esboço do Kirby para o Homem-Aranha, “…porque ele ficou bom demais! Eu queria algo diferente, uma Aranha mais mirrado, por isso chamei o Steve Ditko”, li isso em um formatinho da Abril, provavelmente em Capitão América #100, publicado em 1987. E por falar em Capitão América, sabiam que foi o Jack Kirby que o criou junto com o Joe Simon? Como eu queria ver esse esboço do Kirby para o Homem-Aranha.

 

 

Já assistiram ao filme Argo, do Batafleck? sabiam que o filme é inspirado em uma história real? E que Jack Kirby foi contratado pela CIA para fazer as artes conceituais do filme Lord of Light. Como manda as boas práticas da Inteligência, a CIA nunca contou ao Kirby que seu trabalho era para ajudar na libertação de americanos que estavam escondidos no Irã durante a Revolução Islâmica de 1979? Ou seja, o criador do Sentinela da Liberdade trabalhou em uma operação secreta de resgate patrocinada pela CIA, verdadeiro herói americano, de filme americano.

Arte conceitual do filme Lord of Light criada por Jack Kirby

 

Arte conceitual do filme Lord of Light criada por Jack Kirby

 

Arte conceitual do filme Lord of Light criada por Jack Kirby

 

Arte conceitual do filme Lord of Light criada por Jack Kirby

 

Mas então? O que eu posso dizer sobre o Kirby? Posso dizer que eu comecei a colecionar gibis de heróis quando li Grandes Heróis Marvel #16, da Abril, publicado em 1987. A última história é com a arte dele e roteiro de Stan Lee.

 

Capa de Grandes Heróis Marvel, #16, de 1987

 

E posso dizer que logo em seguida comprei Heróis da TV #100 e Capitão América #100, ambas com histórias desenhadas por ele.  Mais tarde, mas não muito, conheci os Novos Deuses e me apaixonei por aquele mundo. Kirby esteve comigo no início da minha incursão pelos quadrinhos de heróis.

 

 

Os Novos Deuses

 

Posso dizer que Kirby nunca foi o meu artista preferido, mas os artistas que mais gosto adoram ele, e isso é razão mais do que suficiente para que eu seja eternamente grato a seu trabalho, e admirar a sua história de vida.

Vou deixar um link aqui do Guia dos Quadrinhos com uma biografia e uma lista, impressionante, dos personagens criados pelo Rei.

E não deixem de visitar o museu virtual dele, neste link aqui.

E posso dizer finalmente: muito obrigado, Jack.