Se tem uma revista que eu sinto muito saudade é à Aventura e Ficção, não conhecem? tem um post muito bom do site Museu dos Quadrinhos, link aqui, com as capas e a história da revista.

Aventura e Ficção possuía um mix de histórias de quadrinhos europeias, ficção científica, autores indies americanos. Foi nela que conheci o Corto Maltese de Hugo Pratt. Bons tempos.

Nos dia 14 de outubro, no ao Artist´S Alley do Esquentamente, link aqui, e comprei a revista Brazilla. O nome faz referência ao Godzilla (Melhor nome!), e a proposta da revista me lembrou muito a antiga Aventura e Ficção.

O Brazilla que recepcionava o público no Esquentamente

O Brazilla que recepcionava o público no Esquentamente

A revista Brazilla foi criada por cineastas brasilienses. Em 2012, o hoje, editor Daniel Chuis, teve a ideia durante o seu projeto de conclusão de curso de pós-graduação. A intenção inicial era criar um evento estilo às Comic Cons junto com Filipe Rizzo, da Editora Dulcina. Rizzo sugeriu a criação de uma revista 100% brasiliense, em suas palavras, “Nós percebemos que, com o projeto, poderíamos contribuir para o desenvolvimento da atividade adicionando processos editoriais que facilitam a divulgação e distribuição das obras que geralmente ficam de fora devido à falta de recursos”. Mais tarde o professor da Universidade de Brasília, Raimundo Lima Netto passou a integrar a equipe editorial.

Páginas da história Amor Perfeito, de René Sampaio, Bruna Spínola e Zelito Rodrigues

Páginas da história Amor Perfeito, de René Sampaio, Bruna Spínola e Zelito Rodrigues

Páginas da história Prazeres Pequenos, de Cibele Amaral e Morgana Boeschenstein

Páginas da história Prazeres Pequenos, de Cibele Amaral e Morgana Boeschenstein

A ideia era juntar cineastas e quadrinistas de Brasília para produzirem histórias em quadrinhos. Lima Neto comentou, “Cinema e quadrinhos partilham de uma origem semelhante. São a mistura de comunicação, arte e tecnologia. O que vai fazer do cinema uma arte mais abrangente é a sua inserção no mercado, seu valor de produção. O que aconteceria então se o cinema e quadrinhos independentes se juntassem também? Que monstro sairia disso? Esse monstro é a revista Brazilla”. A linha da revista é priorizar conteúdo original local, tendo sempre Brasília como foco, para que a produção da cidade ganhe mais projeção.

O edição #01 de Brazilla possui cinco histórias, com tramas de terror, ficção científica, romance, trama policial e uma que eu não entendi nada. Todos os roteiros são de cineastas brasilienses, e os desenhos por artistas também do Distrito Federal.

Os roteiristas convidados foram Marcus Ligocki Jr, René Sampaio, Bruna Spínola, Cibele Amaral, Johil Carvalho, Frederico Braga, Santiago Dellape e Davi Mattos. Entre os quadrinistas estão Zelito Rodrigues, Flávia Lima, Zakuro Aoyama, Morgana Boeschenstein e Frederico Escorsin. Vale ressaltar que os quadrinistas que participam dessa edição foram selecionados dentre mais de setenta artistas.

Como sempre não quero dar spoilers aqui sobre as histórias, ressalto apenas que gostei muito da revista, se puderem ler eu recomendo fortemente. Além de Aventura e Ficção, a Brazilla me lembrou também a saudosa Calafrio, ou seja gente, vale a pena.

Abaixo temos um vídeo produzido pela TV UNB falando do projeto.