Nem todos os vilões são monstros. Nem todos os monstros são vilões. Mas, dentro da galeria de inimigos do Batman, um personagem se destaca por ter caminhado nos dois lados desta moeda: Mr. Freeze, o Sr. Frio.

Apenas um incompreendido colecionador de action figures.

Criado por Bob Kane, David Wood e Sheldon Moldoff, o Sr. Frio apareceu pela primeira vez nas páginas de Batman #121, de fevereiro de 1959, chamado de Mr. Zero na ocasião. Sua origem não poderia ser mais clichê: apenas um cientista louco que, ao tentar desenvolver uma arma de raios congelantes, foi atingido por uma mistura de produtos químicos criogênicos. A partir de então, ele somente conseguia sobreviver em temperaturas abaixo de zero. O que fazer numa situação dessas? Procurar ajuda? Não! Se dedicar ao crime, é claro!

Crime foi terem deixado isso acontecer.

O Sr. Frio só recebeu esse nome a partir de 1966, quando foi incorporado à série de TV do Homem-Morcego, tendo sido interpretado por três diferentes atores durante o período: George Sanders, Otto Preminger e Eli Wallach. Contudo, o personagem manteve a origem que vinha dos quadrinhos até então.

Não sabemos explicar isso melhor.

Foi em 1992, no quinto episódio do desenho Batman – the Animated Series, que o Sr. Frio ganhou aquela que seria sua origem definitiva. Em Heart of Ice, o roteirista Paul Dini e o diretor Bruce Timm contaram com a colaboração do genial Mike Mignola para contar a trágica história do cientista Victor Fries e sua luta para salvar a vida de sua amada esposa Nora. Esse episódio foi um dos grandes responsáveis pela reputação da série, tendo vencido um Emmy. Como legado, a origem do personagem foi incorporada pelos quadrinhos, tornando-se a versão vigente até hoje.

Evolução da moda através das décadas

O episódio começa com uma sequência de crimes em Gotham durante a maior onda de calor dos últimos tempos. O que torna esses delitos particularmente estranhos não é o fato de equipamentos tecnológicos serem roubados, mas seu perpetrador usar uma arma de raios congelantes. O alvo é uma empresa chamada GothCorp e o criminoso não é outro senão nosso vilão especialmente convidado.

Ao investigar os assaltos, Batman descobre que o CEO da GothCorp, Ferris Boyle (dublado originalmente por Mark Hammill), foi o responsável por transformar o cientista Victor Fries no terrível Sr. Frio. Ainda um pesquisador trabalhando para Boyle, Fries tentava encontrar uma cura para a degeneração celular de sua esposa Nora. Ao saber que isso consumia recursos da empresa, Boyle tentou deter o processo e, num confronto, derrubou Fries sobre uma bancada de produtos químicos de criogenia que lhe deram sua atual condição.

A origem de 90% dos vilões.

Batman consegue deter o Sr. Frio durante um jantar organizado para homenagear Boyle como o “humanitário do ano”, expondo seu crime para a imprensa. A história termina com o vilão em uma cela especial no Asilo Arkham, refletindo sobre o que se tornou e implorando pelo perdão de sua esposa, ainda presa à câmara criogênica que a mantém viva, porém não entre os vivos.

O episódio é de uma maturidade muito grande, algo recorrente em todas as séries da dupla Dini/Timm. Ainda que seja uma história de super-heróis resolvida em 20 minutos, tem elementos dramáticos que situam perfeitamente os personagens e quais os seus papéis na trama. Não é de se admirar que a série tenha se tornado referência – muito menos que os quadrinhos tenham adotado essa versão da origem do Sr. Frio. Mas é claro que essa não seria a última vez que veríamos o notório criminoso criogênico.

Criando uma crise na cronologia

Ele retornaria no episódio Deep Freeze, em que é retirado da prisão pelo milionário Grant Walker, que deseja se tornar imortal como Fries. O plano de Walker é criar um mundo gélido onde apenas pessoas selecionadas poderiam viver. O Sr. Frio concorda em ajudar, em troca da promessa de que o milionário ajudaria a curar sua esposa. Batman intervém e convence Frio de que sua esposa o odiaria se soubesse o que ele estava fazendo. Voltando-se contra Walker, Victor Fries destrói a utopia monstruosa do milionário, sendo dado como morto junto com Nora.

O fim? De jeito nenhum. Sua próxima aparição é no longa animado Sub-Zero: desesperado, Victor sequestra Barbara Gordon para conseguir órgãos para o transplante que pode salvar a vida de Nora. Novamente, Batman intervém, salvando Barbara e garantindo que Nora seja tratada pelas empresas Wayne, o que salva sua vida. Victor, contudo, desaparece numa explosão e é dado como morto (mais uma vez).

Ainda que não seja tão profundo quanto Heart of Ice, este longa permite mostrar Victor afundando cada vez mais nas trevas de sua alma, se entregando ao desespero e tornando-se capaz de qualquer monstruosidade para salvar a esposa. No epílogo, vemos Fries livre do traje de suporte de vida, feliz por Nora ter sido curada e em paz com sua consciência. Porém, ele é incapaz de retornar para Gotham porque sabe o monstro que se tornou e deseja, mais do que tudo, que esse monstro não destrua mais vidas.

“Devo impedir a eleição de Trump!”

A fase posterior do desenho, The New Batman Adventures, mostrou o retorno do Sr Frio de uma forma ainda mais aterradora: no episódio Cold Comfort, a degeneração celular de Victor já destruiu a maior parte de seu corpo e sua cabeça é colocada sobre um robô aracnídeo. Quando Nora se casa novamente e deixa Gotham, o que resta de sua humanidade se vai e ele tenta destruir a cidade mais uma vez. Obviamente, o Cavaleiro das Trevas impede seus planos novamente e, como de costume, o Sr Frio é dado como morto.

Jon Peters ficaria intrigado.

Damos então um salto de cinquenta anos no tempo. Numa cartada ousada, Dini e Timm apresentaram a nova série animada do Homem Morcego: Batman Beyond. Já velho demais para combater o crime, Bruce Wayne é mentor do jovem Terry McGinnis, numa Gotham com novos perigos mas que ainda conta com seu protetor. E é nesse cenário cyberpunk que o Sr. Frio retorna. O inescrupuloso empresário Derek Powers também está sofrendo de degeneração celular causada por radiação, transformando-se no monstruoso vilão Blight. Porém, ele está disposto a qualquer coisa para encontrar uma cura. Com a ajuda da cientista Stephanie Lake (dublada por Linda Hamilton), ele usa a cabeça preservada de Fries como cobaia no experimento que lhe dá um novo corpo – e uma nova vida.

Fries está disposto a se redimir de seu passado. Isso dá o pano de fundo perfeito para uma das características mais marcantes da série: o sempre ranzinza e paranoico Bruce Wayne em contraste com o otimismo de seu pupilo Terry McGinnis. Essa foi, de longe, a mais bem-sucedida tentativa de se criar um Batman que não fosse Wayne, usando a cronologia da série animada e abrindo as portas para o surgimento de novos personagens. Terry vê Fries perdoar um homem que deseja matá-lo e acredita que ele esteja realmente buscando redenção. Já o velho Bruce Wayne reluta em aceitar que seu antigo inimigo possa mudar.

Essas action figures estão cada vez maiores.

Fries vai até a TV para anunciar que está criando uma fundação com o nome de Nora para pesquisas que possam salvar vidas. Ele pretende usar todos os recursos que angariou durante sua vida criminosa para ajudar a diminuir o sofrimento das pessoas que mais precisarem. Quando questionado se isso seria um exemplo de caridade, ele responde: “Não, isso não é caridade. Isso é justiça”. O conceito é o mesmo da tzedakah, no judaísmo. Ainda que seja associada com “caridade”, a palavra tzedakah significa “justiça” e tem uma característica muito interessante: quando permutamos suas letras pelo método atbash (ou seja, trocamos a primeira letra pela última, a segunda pela penúltima e assim sucessivamente), a palavra tzedakah pode ser lida de trás para frente como… tzedakah. Isso simboliza que os atos de justiça que praticamos voltam para nós. Infelizmente, uma reviravolta nos eventos realmente impede que Fries cumpra seu tikun (retificação).

A Dra. Lake jamais tentou realmente ajudar Fries. Ela queria encontrar uma cura para seu chefe, Derek Powers. Quando o corpo novo do ex-Sr. Frio começa a se deteriorar, Lake o trai e ele é forçado a voltar a seus antigos hábitos. Num rompante de violência, ele ataca as indústrias Wayne-Powers, entrando em confronto com o Batman e com o vilão radioativo Blight. No final, num último lampejo de humanidade, Victor se sacrifica para que ninguém mais morra e essa foi, finalmente, sua última aparição no universo animado.

Grandes astros sabem a hora certa de parar.

Heart of Ice é considerado o melhor episódio da série animada – o que não é pouca coisa. Praticamente perfeito em sua execução, temos ali diversos elementos do porquê a mitologia do Batman é tão fascinante. Quando consideramos toda a saga do Sr. Frio na série animada, fica fácil entender porque ela é cultuada até hoje. Feita com muito amor e trabalho árduo por seus criadores, há não só um grande entendimento do seu protagonista e como ele funciona em seu universo ficcional, mas também de como seus antagonistas devem ser construídos e desenvolvidos. Ninguém é indiferente à tragédia, perda, dor, sofrimento… Levar emoções tão humanas para curtos episódios de desenhos animados pode parecer uma tarefa simples, mas é muito complexa. Afinal, ela é impossível sem empatia – e, quando nos lembramos que o Batman é alguém que não quer que ninguém mais sofra o que ele sofreu, a queda de Victor Fries se torna ainda mais dramática para os dois lados. Afinal, Batman jamais conseguiu salvá-lo e a redenção do Sr. Frio veio apenas na morte.

E nas belas capas de Jae Lee

Autor: