Sim, nós aqui do HQ Café ficamos devendo a crítica do último episódio de The Walking Dead antes do breque de fim de ano, mas como nós tardamos e depois falhamos, vamos falar um pouco do que se pode esperar depois da retomada também. Ao menos ninguém vai poder reclamar do sem-número de spoilers a seguir.

Ao longo das sete temporadas da série, houve muita reclamação que o ritmo da trama cai vertiginosamente em vários momentos. Pessoalmente, gosto muito de Robert Kirkman como autor e acho que isso faz parte do estilo dele: ele gosta de recuar um pouco e preparar os personagens e a audiência para acontecimentos catárticos, e depois deixar suas consequências reverberarem por alguns episódios. Lógico que algumas partes têm a maior cara de encheção de linguiça, principalmente nos quadrinhos, mas não se pode esquecer que já faz quase quinze anos que ele vem trabalhando nesse mundo dos mortos-vivos e tem tirado leite de pedra, com algumas tramas muito boas.

Como é de praxe, então, o começo de temporada morno em que os personagens estão ainda absorvendo o novo equilíbrio de poderes com a chegada dos Salvadores serviu para criar um clima de tensão, que finalmente eclodiu no clímax de antes do intervalo de fim de ano. Tudo isso para deixar aquele cliffhanger maroto que nos faz antecipar o que virá depois da pausa.

Sabe qual o segredo de um bom macarrão? Não tirar o olho da panela!

Se a situação de tensão da temporada pode ser comparada a um barril de pólvora, o estopim foi o Carl. Apesar de ter sido obrigado a amadurecer cedo desde o apocalipse, ele ainda é um adolescente, e está sujeito às impulsividades naturais da idade. O primeiro a agir para solucionar o problema dos Salvadores, e achando-se indestrutível, o rapaz invadiu a base da gangue de malfeitores sozinho e tentou eliminar Negan. Óbvio que não deu certo, mas ele matou alguns capangas no processo e o vilão foi à Alexandria tirar satisfações com Rick.

Spencer vinha nutrindo seu ressentimento por Rick desde que este chegou em Alexandria. Até isso acontecer, sua cidade havia passado relativamente incólume pelos horrores do apocalipse zumbi, mas a partir de então, a brutalidade que antes estava escondida chegou e levou toda a sua família. O menino criado com leitinho com pera resolveu fazer sua jogada, aproveitando-se da presença de Negan e da ausência do ex-xerife na cidade, mas agiu mal. Sua tática foi convencer o vilão a eliminar Rick, já que ele mesmo seria um líder muito melhor e mais amigável. A resposta foi ter suas tripas espalhadas pelas ruas, provando que até os piores bullies têm lá o seu senso de moral.

Pobre Lucille, Rosita…

Durante o tumulto causado pela morte de Spencer, Rosita, outra que já estava em seu limite com os Salvadores, também decidiu agir e atirou em Negan, mas acabou atingindo Lucille (o taco enrolado com arame farpado que ele usa, se é que você conseguiu esquecer). Esperto, o vilão percebe que a bala que ela usou era caseira e decide levar Eugene com ele para fabricar mais. Como uma ação dessas não pode ficar sem punição, a gangue executa Olivia de maneira inesperada e aleatória.

É nesse cenário de bagunça generalizada que Rick volta a Alexandria com Aaron, que mesmo trazendo provisões, é espancado por conta de um mal-entendido. Ele chega à conclusão mais óbvia: o acordo com os Salvadores não está funcionando. Se, depois de seu primeiro encontro com Negan, ele era um homem quebrado, os acontecimentos deste episódio serviram para que ele se remendasse e decidisse encarar a gangue do vilão.

Outro que chega ao clímax de seu arco é Daryl, que consegue fugir do Santuário e devolve a Colt de Rick, como um símbolo de que ambos estão de volta e prontos pra briga.

Vamos conversar sobre símbolos fálicos e quem voltou a ser o macho alfa?

A temporada daqui em diante parece ser promissora, principalmente levando-se os quadrinhos em consideração. Agora que nossos heróis deixaram de ser sedentários e há outros assentamentos próximos, os acontecimentos coletivos são pensados em termos de territorialidade, e não mais de grupo. Ou seja, Alexandria vai declarar guerra ao Santuário, e não vai ser uma briga de gangue. Michonne e Daryl já conseguiram ter uma noção do tamanho da comunidade de Negan e sabem que vão precisar de aliados.

Com Megan em Hiltop e Gregory se mostrando um sujeito covarde e sem iniciativa, a hipótese mais provável é que Maggie assuma as rédeas e eles se posicionem ao lado de Alexandria. Já no Reino, como Richard falou a Morgan e Carol, é pouco provável que Ezekiel queira enfrentar os Salvadores, ao menos de imediato. Em Oceanside, as habitantes estão acuadas e mais propensas a fugir do que partir para o confronto.

E, pra terminar, botas misteriosas!

E prepare-se para a All Out War!

Nota: 8,0