Rebeca Prado

Rebeca Prado

O HQcafé inicia uma nova etapa agora com uma seção de entrevistas. o “Cafezinho”. Nosso objetivo primordial é conversar com autores e desenhistas de quadrinhos sobre seus processos criativos, inspirações, o mercado e claro, sobre quadrinhos. Sobre quadrinhos brasileiros leiam a análise de Fábio Ochôa aqui.

Inaugurando a seção, temos a satisfação de publicar a conversa realizada com a autora de “Baleia” e “Navio Dragão”, Rebeca Prado.

Formada na Faculdade de Belas Artes da UFMG, Rebeca possui uma veia irônica e sarcástica em suas tiras. Sua personagem Lif, a viking, pode sugerir como é a sua personalidade, mas foi uma pessoa simpática, atenciosa e engraçada durante a conversa. E principalmente, muito paciente conosco.

Vocês podem ler o perfil de Rebeca nesse link, que leva ao seu atual projeto no Catarse, o “Baleia 3”, que acabou de alcançar a meta inicial! Quem quiser garantir a obra, ainda pode entrar. As recompensas maiores também  acompanham alguns dos trabalhos anteriores da artista, então é uma ótima oportunidade para adquirir esse material. Acessem e APOIEM!

Em 2015, durante o Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) em Belo Horizonte/MG, em sua conta no Twitter, a prestigiada autora Gail Simone elogiou o trabalho de Rebeca Prado, dizendo ter amado Navio Dragão e Carne (o cachorrinho da Lif) e acentuou que Rebeca era uma de suas favoritas “comic creators”.

Gail Simone já escreveu quadrinhos do Deadpool, Birds of Pray, Action Comics, Novos Titãs, Vilões Unidos, JLA Classified, The All-New Atom, Gen13, Batgirl, dentre outros, para saber, tudo, ou quase, clique aqui. Então, imaginem que enquanto editávamos a entrevista a seguir, Gail Simone voltou a elogiar o trabalho de Rebeca novamente em sua conta no Twitter, e pedimos para a autora mineira comentar os elogios:

“Ah, sobre a Gail, nossa, eu fiquei muito emocionada!
Desde o FIQ, quando ela foi falar do meu trabalho e tudo mais, eu já fiquei bem emocionada e sou eternamente grata por todo o carinho dela comigo.
Mas dessa vez eu fiquei mais ainda, Hahahaha, ela é muito amável e me incentiva muito, eu realmente não sei nem como retribuir!”

Nós do HQcafé acreditamos que a melhor retribuição que Rebeca possa dar à Gail Simone é continuar com o seu incrível trabalho.

As Tirinhas de Rebeca

HQcafé: Primeiro queríamos agradecer a você pelo tempo e paciência!

Rebeca Prado: Que isso, disponha!!

HQcafé: Suas tirinhas de séries como “Vida de Adulto” e “Viver é Pesado” são anedotas que parecem bastante autobiográficas. É mais fácil e natural fazer humor com o próprio cotidiano?

Tira da série 'Viver é Pesado"

Tira da série ‘Viver é Pesado”

Rebeca Prado: Ah, com certeza. Quando a gente faz humor com nossos próprios problemas e inseguranças, tudo fica bem mais acessível, porque eu sei exatamente qual sentimento eu quero transmitir.

Tira da série 'Viver é Pesado"

Tira da série ‘Viver é Pesado”

HQcafé: Já nas tirinhas de “Navio Dragão”, a protagonista é a Lif, uma criança viking,também apresentam um traço autobiográfico?

Lif e seu cão, o Carne

Lif e seu cão, o Carne

Quadrinho de Navio Dragão

Quadrinho de Navio Dragão

Rebeca Prado: Também! E é engraçado falar que é uma criança, porque eu nunca disse a idade dela, hahahaha

HQcafé: Qual é a maior diferença entre escrever para adultos e crianças?

Rebeca Prado: Hum, não sei, viu? Nunca escrevi focada em um público específico!

HQcafé: Seu trabalho como professora infantil te ajuda a se manter conectada com o universo infantil e se inspirar em seus alunos?

Rebeca Prado: Acho que os meus alunos do infantil me ajudam a me manter conectada com meu lado mais humano, na verdade.

HQcafé: Você falou que seus alunos menores te conectam com seu lado humano, como assim?

Rebeca Prado: Ah, de perceber melhor meus defeitos, e algumas características que na correria do dia a dia a gente não presta atenção, sabe?

HQcafé: Sim, dá para entender! Somos pais de crianças pequenas, então isso faz bastante sentido!

Rebeca Prado: hahahahah não faz?

HQcafé: Faz bastante…E eles leem suas tirinhas? Você recebe algum feedback deles?

Rebeca Prado: Alguns sim! Eles gostam bastante da “Lif” e, principalmente, do Carne!

HQcafé: Crianças são extremamente imaginativas, e a opção pelo mundo mágico dos vikings parece refletir isso. Para você, a viking é uma viking de verdade ou tudo é uma brincadeira bastante vívida de criança?

Rebeca Prado: É uma viking de verdade 🙂

HQcafé: A Viking é uma menina com bastante personalidade, que subverte aquela fantasia clássica das meninas-princesas. Nesse ponto, ela me lembrou muito a Mafalda. Alguma inspiração?

Rebeca Prado: Nenhuma! Hahaha

Lif sendo Lif

Lif sendo Lif

HQcafé: E quanto a outras influências? Você disse que Calvin and Hobbes, Peanuts e Turma da Mônica são quadrinhos que te influenciaram. E as histórias da Marvel e DC?

Rebeca Prado: Eu nunca fui muito de ler Marvel e DC! Mas eu gosto muito da Batgirl e da Mulher Maravilha!

HQcafé: E quadrinhos europeus? Mangás?

Rebeca Prado: Ah, Cyril Pedrosa eu gosto muito, Asterix e alguns trabalhos recentes, como Placas Tectônicas. Eu li muitos mangás na minha adolescência, Holic, Death Note, Sakura Card Captor, mas por serem muitos volumes, eu achava difícil colecionar e fui parando aos poucos!

HQcafé: Você tanto desenha quanto roteiriza seus próprios trabalhos. Suas inspirações para cada um desses aspectos são diferentes ou é difícil separar isso nesse formato de tiras?

Rebeca Prado: Ah, eu não penso muito nisso, viu? Eu acabo fazendo meio que no feeling!

Tira da série 'Viver é Pesado"

Tira da série ‘Viver é Pesado”

HQcafé: Você planeja produzir algum trabalho mais longo, como uma graphic novel? Essa parece ser uma tendência entre muitos quadrinistas brasileiros…

Rebeca Prado: Sim! Tenho muita vontade e alguns projetos também!

HQcafé: Planos futuros além de Baleia 3?

Rebeca Prado: Gostaria de fazer um segundo volume de Navio Dragão e uma graphic mais longa!

HQcafé: Você planeja produzir histórias com um perfil mais adulto?

Rebeca Prado: Eu nunca produzi histórias com perfil infantil 🙂

HQcafé: Gostei da resposta, perguntei isso porque eu não sabia se mostrava para minhas filhas ou não. Elas têm cinco anos.

Rebeca Prado: hahahaha pois é, isso é um problema as vezes, porque existe muito a associação de trabalho feito por mulher + traço delicado = público infantil.

HQcafé: E é verdade, mesmo que eu ache seu traço, em Navio Dragão, passa uma imagem não infantil, mas que remete a quadrinhos mais inocentes.

Rebeca Prado: E eu vejo que algumas pessoas compram o Navio Dragão para os filhos, e ficaram horrorizadas com o que os moleques aprenderam.

Minas nas HQs

HQcafé: Verdade? Minhas filhas gostaram. Olha, nunca associei ao fato de você ser mulher, mas emendando nesse seu comentário, você acha que há alguma diferença essencial em HQs produzidas por mulheres?

Rebeca Prado: Eu acho sim, a diferença essencial é que elas são produzidas por mulheres, exatamente, mas quando a autora é uma mulher, existe muito mais essa percepção, sabe? De que mulher tem mais “tato” para produzir para público infantil, instinto maternal e essa coisa toda.

HQcafé: Sim, a mulher como o gênero sensível. Mas você acha que é mais complicado para as mulheres produzirem quadrinhos no Brasil? Visto que o número de quadrinistas homens, aparentemente, é maior. E por falar em quadrinhos produzidos por mulheres, o que acha do projeto Pagu do Social Comics?

Rebeca Prado: Olha, para produzir não, porque a parte da produção é relacionada apenas ao artista. Mas a receptividade é diferente, sim, e a aceitação também. Olha, eu acho que quanto mais formas de reunir autoras, mais forte ficamos, sabe? Podemos ver isso em todas as formas de contestação que vem surgindo de uns tempos para cá e eu me orgulho muito mesmo.

HQcafé: Por isso o Lady Comics?

Rebeca Prado: Sim, mas publicar e produzir são coisas diferentes! Produzir é o processo do artista de fazer o quadrinho, escrever o livro e tudo mais. Publicar é o momento que envolve terceiros, essa parte é mais complicada, sim.

HQcafé: Ah, Ok. Faz sentido, é uma etapa do processo, após a criação.

Rebeca Prado: Isso!!! Produzir faz parte da criação! Publicar é depois que o trabalho está feito.

HQcafé: Nanquim ou tablet: você trabalha com desenho e colorização no computador ou prefere papel?

Rebeca Prado: Eu sou muito adepta da ilustração tradicional. Mas não gosto de excluir nenhuma técnica.

HQcafé: Você também parece ter uma predileção pelo guache. Você acha que é um material que propicia imagens mais leves e divertidas?

Rebeca Prado: Na verdade é uma predileção pela aquarela! E ah, não sei, nunca pensei nisso. É uma técnica que me diverte bastante.

Da cabeça de Rebeca até o leitor

HQcafé: As tirinhas se popularizaram pelo mundo por meio das publicações em jornais e revistas. Você trabalha bastante com o meio digital, mas já publicou ou pretende publicar nesse modelo “tradicional”?

Rebeca Prado: Ah, eu adoro publicações impressas, tanto que fiz o Navio Dragão no formato de um livro e tudo mais. Mas nunca fiz tiras para jornais e revistas, deve ser muito legal!

HQcafé: Você publicava na internet antigamente. Qual foi o impulso que a internet deu a sua carreira de quadrinista?

Rebeca Prado: eu ainda publico na internet, né? A internet é a minha principal forma de distribuição do meu trabalho, de agregar público.

HQcafé: Her… Quisemos dizer em um site dedicado às publicações… acompanhamos as suas publicações no Facebook primordialmente.

Rebeca Prado: É, eu acho que no geral as pessoas acompanham tudo por Facebook mesmo, sabe? É onde elas estão recebendo grande parte do conteúdo diário delas e tal!

HQcafé: Vc acha que a internet ajuda a democratizar essa distribuição? No sentido de dar visibilidade a mais artistas, inclusive aqueles que não teriam mais espaço em uma editora ou algo assim?

Rebeca Prado: Sim, todo mundo tem mais acesso ao conteúdo publicado, né?

HQcafé: O Catarse está contribuindo para a difusão de novos autores? O que você acha de iniciativas como o Social Comics para leitura online de quadrinhos nacionais? Inclusive agora estão criando material exclusivo para o site. Eu conheci muito autor novo por lá. No Catarse, inclusive você, mas eu lembro que o Fábio Moon comentou que os projetos tinham poucos apoiadores.

Rebeca Prado: Eu sou super aberta a novos projetos, sabe? Então tudo o que não estiver lesando ninguém ou invadindo espaço de outras pessoas ou fazendo algum tipo de mal, eu acho super válido! O Catarse, e as plataformas de financiamento coletivo no geral, são um passo importante. Ainda não temos o tanto de apoiadores que gostaríamos, mas eu sou otimista, acho que isso vai melhorar com o tempo!

HQcafé: Já quase finalizando. Quais os quadrinistas que você admira hoje? brasileiros e estrangeiros?

Rebeca Prado: Nossa, mas é gente demais! Nacionais tem a Bianca (Pinheiro), os Cafaggi que são incríveis, Nia, Eiko e Crumbim, as queridas do Seasons, André Turtelli e Renato Quirino, o Yoshi e a Mylle, Damasceno, Garrocho, Coala, Will Leite, é muita gente querida!

HQcafé: E ainda dá tempo de ler os internacionais?

Rebeca Prado: Estrangeiros tem a Jill Thompson, Schulz, Craig Thompson, Cyril Pedrosa, Sarah Andersen, Agustina Guerrero, Luchie, Verabee, Jen Wang, as novas meninas publicadas pela Nemo… HAHAHAHAHA olha, a gente dá um jeito de arrumar um tempinho, né?

HQcafé: Não conheço todo mundo… Vamos procurar.

Rebeca Prado: Vale a pena, viu?

HQcafé: A Sara Andersen é bem parecida com seu estilo, até as tirinhas que sempre aparecem no feed do Facebook!

Rebeca Prado: Siiim, eu adoro o trabalho dela!

HQcafé: E recomendações de leitura?

Rebeca Prado: então, todas essas que eu falei! Mas esses dias eu li “placas Tectonicas’ e achei o máximo!

HQcafé: Esse eu não li, vou procurar. E você comentou numa pergunta anterior que tinha alguns projetos (na pergunta sobre trabalhos mais longos) dá pra adiantar alguma coisa?

Rebeca Prado: Ah, então, o Navio Dragão 2 já está em produção! E os outros projetos eu ainda estou naquele limbo emocional para saber se publico ou não! hahahahaha

HQcafé: Hehehe blz

HQs de Minas

HQcafé: Você faz parte de uma geração de jovens quadrinistas mineiros (Como Victor & Lu Caffagi, Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho). Por que tantos artistas talentosos em Minas Gerais? É alguma coisa na água?

Rebeca Prado: Hahahahaha quem dera! Meus conterrâneos são muito competentes mesmo, e eu admiro muito todos eles, eles são referências muito fortes para mim.

HQcafé: Aliás, quando tiver um Navio Dragão 1 sobrando me avisa que eu quero comprar, não tinha mais na CCXP!

Rebeca Prado: Hahahahaha estarei no Fest Comix! Pode pegar comigo lá!

HQcafé: Rebeca, muuuuuuito obrigado pelo tempo! Foi muito divertido conhecer melhor o seu trabalho. Teremos uma visão bem diferente (e melhor) quando for ler suas tirinhas! Muito obrigado também, acompanho o seu trabalho desde o Navio Dragão. Sim, agradecemos muito o seu tempo!!

Rebeca Prado: Ô gente, que isso!! Eu que agradeço demais!!

HQcafé: E te desejo muito sucesso, quadrinhos e felicidades

Rebeca Prado: Cês são o máximo!

HQcafé: Ah, e boa sorte no Catarse

Rebeca Prado: Ah, muito obrigada mesmo, viu? Todo o sucesso para vocês também!

HQcafé: Obrigado e até a próxima Rebeca!

Rebeca Prado: Até, gente!

Nota do HQcafé: A entrevista foi realizada por e-mail e pelo Messenger.