A Comic Con Experience (CCXP) sempre chama muita a atenção (e público) com as estrelas internacionais de cinema e de TV que se revezam no palco do Auditório Cinemark, para delírio do seleto grupo que consegue entrar no enorme salão. Pessoalmente, no entanto, acho que o verdadeiro coração da CCXP está no seu Artist´s Alley: espaço que reúne quadrinistas que expõem diretamente seus trabalhos. Para muitos artistas, essa é uma das poucas oportunidades de sair dos restritos círculos de entusiastas de HQs para se apresentar ao grande público. Para os visitantes, é um ótimo momento para bater um papo com os expositores e adquirir produtos que não chegam às principais livrarias.

E o Artist´s Alley da CCXP é MUITO bom. Desde sua primeira edição, a convenção tem expandido essa área, contando em 2016 com mais 300 artistas, uma das maiores do mundo. Ela tem ainda uma boa quantidade quadrinistas internacionais, algo raro em outros eventos do tipo no Brasil. Passear por pelos corredores do Alley é uma ótima experiência, você não precisa enfrentar filas e gastar nada: a maioria dos artistas ficará feliz em conversar sobre seus trabalhos, autografar HQs e até fazer  um rascunho na hora.

Mas é claro que eles vão preferir que você compre algo (eles pagam pelo espaço da mesa, sabiam?). Dentre os produtos que você pode adquirir estão, além de quadrinhos, prints (artes impressas, normalmente em formato A3 e A4), sketchbooks e artbooks (coleções de artes conceituais) e páginas originais de publicações. Você também pode encomendar comissions personalizadas, incluindo nas capas brancas de mensais que a Panini produz exclusivamente para a CCXP.

artist´s alley arts 01

Alguns produtos: quadrinhos, comissions, prints, sketch books e páginas originais para todos os gostos!

Mas como escolher o que ver, com uma lista gigantesca de artistas à disposição? Os principais sites de quadrinhos tem publicado suas próprias sugestões, incluindo uma bem completa do Thiago Borges do “O Quadro e Risco” sobre artistas nacionais. Resolvemos elaborar uma lista bem enxuta de apenas dez quadrinistas, com estilos bem variados. Excluímos alguns dos artistas nacionais mais conhecidos e badalados (como os irmãos Bá e Moon) e os internacionais mais famosos. Também tentamos dar prioridade para aqueles que estão lançando trabalhos novos durante o evento (muitos tem ajustado seus calendários de produção para a CCXP, então não foi tão difícil).

brao-ccxp-01Bräo (Mesa H28)

Desde que deixou o mercado publicitário em 2003, o simpático Bräo tem se destacado pela produção de arte erótica, incluindo o “Cornucópia”, belíssimo álbum de luxo indicado ao prêmio HQ Mix 2016 (e cujas cópias foram disputadas a tapa na última Comic Con!). Bräo irá lançar na CCXP o segundo volume de Bad Wömen, artbook que coleciona pin-ups femininas e outras artes do ilustrador (o primeiro, infelizmente, já está esgotado).

Cris Eiko Paulo Crumbim CCXP 01Cristina Eiko & Paulo Crumbim (Mesa D05)

A dupla de cartunistas alcançou a fama com o lançamento de Penadinho – Vida, do selo Graphic MSP, mas Cristina e Crumbim já estão algum tempo se dedicando à produção de quadrinhos, entre fanzines e trabalhos autorais. Com um traço leve que vai agradar bastante os fãs de mangás, seu são os Quadrinhos A2, ganhador do Troféu HQ Mix 2013 de Melhor Publicação Independente. A coletânea traz histórias que retratam de forma divertida o cotidiano do casal e de seu cachorro, Pino. Uma leitura leve que deve ser bem recebida mesmo para quem não curte HQs. O quinto volume da série será lançado com exclusividade na CCXP.

Gabriel CCXP 01Gabriel Andrade Junior (Mesa A03)

Um pouco menos conhecido do público nacional, o potiguar Gabriel Andrade Júnior é um ativo colaborador de editoras independentes americanas, incluindo a BOOM! Studios e a Avatar Pres, o que lhe rendeu trabalhos conjuntos com grandes roteiristas internacionais, incluindo Kieron Gillen (Uber) e Christos Gage (The Vast), além de ser um dos últimos artistas a colaborar com o Mago Supremo dos quadrinhos, Alan Moore (Crossed +100). Dá para saber um pouco mais sobre o artista nessa entrevista aqui. Além de prints, Gabriel terá algumas edições de suas produções internacionais para venda.

joao-mJoão Montanaro (Mesa G21)

O precoce cartunista João Montanaro iniciou sua carreira com apenas 12 anos (!), nas páginas da versão brasileira da revista MAD, já tendo contribuído para publicações como a RecreioLe Monde Diplomatique Brasil Mundo Estranho. É chargista regular da Folha de São Paulo desde 2010, onde divide espaço com lendas vivas dos quadrinhos brasileiro como Laerte e Angeli. Suas charges, geralmente sobre política nacional, revelam em imagens impactantes um senso de humor refinado e pensamento crítico bastante desenvolvido. Seu primeiro livro, Cócegas no Raciocínio, ganhou o Troféu HQ Mix 2011 de Melhor Publicação de Cartuns. Sua segunda coletânea de charges, Eu Não Me Arrependo de Nada, será lançada na CCXP.

goela-negra-lelisLelis (Mesa D01/D02)

O veterano ilustrador mineiro é um dos mais premiados desenhistas brasileiros (incluindo o Troféu HQ Mix 1997 de Desenhista Revelação) e um dos melhores coloristas em atividade, tendo iniciado sua carreira em 1988. Acumula em seu portfolio contribuições para periódicos como o Estado de Minas Folha de São Paulo, revistas como a Playboy e a Bravo, além de vinhetas para a Rede Globo e ilustrações variadas para o mercado publicitário e editorial. Sua mais recente obra é a HQ Goela Negra, lançada em 2015 da França e traduzida e publicada no Brasil pela Editora Mino. Se você der sorte, poderá adquirir essa obra com uma das belas aquarelas que o Lelis faz algumas vezes em seus autógrafos!

luciano-salles-ccxp-01Luciano Salles (Mesa B01)

Outro quadrinista que expõe sua arte na Folha de São Paulo, Luciano Salles é dono de um traço bastante próprio, semelhante ao do escocês Frank Quitely, mas mais estilizado e detalhado. Além de prints exclusivos para a CCXP, Luciano ainda promete ter para venda algumas (poucas) edições de seus três quadrinhos autorais (O Quarto ViventeL´Amour: 12 oz Limiar: Dark Matter). Suas belas obras aproveitam situações do cotidiano para flertar com o onírico e metafísico.

mika-takahashi-ccxp-01Mika Takahashi (Mesa A30)

Depois de alguns anos trabalhando nas áreas de animação e de ilustração de livros, Mika lançou em 2014 o Ink Stories, sua primeira publicação autoral de ilustrações, passando então para a participação em antologias de quadrinhos nacionais. Quem já teve a oportunidade de ver as gravuras de Mika sabe que elas são de encher os olhos, com delicadas paisagens naturais, crianças e animais reais e fantásticos, que remetem às belas animações do Studio Ghibli (como Viagem de Chihiro e o Ponyo)suas fontes de inspiração. Mika deve lançar ainda esse ano sua primeira HQ, Além dos Trilhos, e se dermos sorte as primeiras cópias poderão ser adquiridas ainda na CCXP!

raphael-fernandes-ccxp-1Raphael Fernandes (Mesa H04)

Roteirista e editor da Editora Draco, o infame Raphael é um dos mais profícuos quadrinistas brasileiros em atividade, alternando-se entre produções autorais e a organização de antologias de quadrinhos, por vezes revelando novos e promissores artistas. Suas obras são recheadas de crítica política e social, com elementos do oculto e de contracultura, e já lhe renderam vários troféus HQ Mix, incluindo Melhor Minissérie em 2016 pela HQ Ditatura no Ar. Já conversamos com o Raphael sobre seu mais novo lançamentoO Despertar de Cthulhu em Quadrinhos, que poderá ser adquirido na CCXP.

Ah, e ele promete que quem comprar três HQs na mesa dele ganha uma leitura de Tarot!

rebeca-prado-ccxp-01Rebeca Prado (Mesa D26)

Quem nos acompanha já deve ter lido a entrevista com a Rebeca Prado, em que a jovem ilustradora conversou sobre suas divertidas tirinhas das séries Navio Dragão, que tem como protagonista a pequena e mordaz viking Sif, e Baleia, com as desventuras autobiográficas de Rebeca, que abordam de forma leve as agruras da passagem para a idade adulta. Rebeca estará lançando o terceiro volume de Baleia, cuja resenha você pode conferir aqui também!

Autor: